domingo, 6 de outubro de 2013

Filme



Hoje tem Paciente Inglês
Loide Branco




O ano de 1997 foi um ano de mudanças em minha vida, algumas boas outras nem tanto, mas isso é a vida...

Mas uma coisa boa que nunca vou esquecer foi o dia em que  fui assistir na tela do cinema, lá  no Shoping Morumbi,  "O Paciente Inglês", lembro das  críticas da época a respeito da atuação de Ralph Fiennes e Juliette Binoche, as imagens maravilhosas, a história de um amor que acabou em tragédia...

Melhor filme daquele ano de 1997 foram 9 oscares bem merecidos.

Já nem sei quantas vezes assisti mas com certeza não será a última :-)

sábado, 5 de outubro de 2013

Literatura

Crime e Castigo - Dostoiévski
Loide Branco


Crime e Castigo




"Não era curioso saber do que têm mais medo as pessoas? De um passo novo, de uma palavra nova própria, é esse o maior medo delas..."  (Crime e Castigo, pg.10)



Esse livro eu comprei em Coimbra em 2008, ou seja, já se passaram 5 anos, mas só pude lê-lo ano passado. É bem longo, mas quando se começa quer continuar lendo, quer saber do final; quantas vezes me senti tentada a ler o último capítulo, mas me controlei pois perde a graça e então foi aquela tortura de capítulo  em capítulo, vendo quantos ainda faltavam mas enfim, uma hora cheguei ao epílogo... 

Esse livro, como foi dito no outro post,  foi o primeiro romance de Dostoyevsky   ou Dostoiévski (em português) e foi publicado em 1866, ele só tinha 25 anos. Então imagine você toda essa reflexão psicológica sobre a sociedade, o ser humano a religião. Fico pensando como que fervilhava de ideias a mente dele.

Vou contar só um pouquinho da história...

Crime e Castigo é a história de Raskolnikov  um estudante de 23 anos, que vive em conflito, mora em um pequeno quarto alugado em S. Petersburgo, e que está passando por dificuldades financeiras, não tem dinheiro para pagar seu aluguel, não tem nem o que comer mas seu amigo Razumikhin tenta ajudá-lo no entanto, ele recusa, e decide assim inventar um plano para matar e roubar uma agiota desagradável e idosa que se chama Alyona Ivanovna. 

A sua motivação estava no fato de que ele sentia que possuía uma tarefa, que estava predeterminada por um poder que estava além dele. Enquanto ainda planeava ele faz amizade com Semyon um bêbado que havia recentemente desperdiçado o pouco de dinheiro de sua família. Ele recebe também uma carta de sua mãe que pretende visitá-lo e falar sobre os planos de casamento de sua irmã.

Depois de muito pensar, resolve por seu plano de assassinato em prática , consegue então entrar no apartamento de Alyona e dar cabo ao plano, ele a mata com um machado e também mata a meia irmã de Alyona, a Lizaveta que está na hora e local errado. Trêmulo por sua ação, rouba alguns itens, uma pulseira, deixando muito do dinheiro da agiota intocável. Ele foge então e devido a uma série de coincidências consegue deixar o local sem ser visto.

Depois do assassinato Raskolnikov cai num estado febril e começa a se preocupar obsessivamente sobre o assassinato. Esconde os itens roubados debaixo de uma pedra e tenta limpar suas roupas desesperadamente de qualquer sangue ou evidência. Ele cai numa febre durante aquele dia mas consegue chamar seu amigo Razumikhin. A febre vai e volta nos dias que se seguem. Raskolnikov se comporta como se quisesse trair a si próprio. Ele demonstra uma reação muito estranha para qualquer pessoa que comente sobre o assassinato da agiota, que agora é conhecido em toda a cidade.

No seu delírio, ele vagueia por S. Petersburgo trazendo mais e mais atenção para si e a relação com o crime. Numa dessas caminhadas pela cidade ele encontra Marmeladov, o bêbado que foi atropelado mortalmente por uma carruagem e corre para o ajudar. Raskolnikov dá o restante de seu dinheiro para a família do homem o que inclui a sua filha adolescente Sonya que tem sido forçada a prostituir-se para sustentar a família.
Nesse meio tempo a mãe de Raskolnikov e sua irmã Dounia chegam na cidade. Dounia  trabalhava como governanta para uma família mas foi forçada a largar a sua posição porque o dono da casa se sentiu atraído por ela, por sua beleza e suas qualidades. Oferece-lhe  dinheiro bem como fugir com esta. Dounia então sai do emprego e perde a sua única fonte de rendimento, conhece então Pyotr um homem classe média mas que propõe casar-se com ela, dessa forma assegurando a mãe e a esta uma segurança financeira. Mas ela tem que aceitar rápido o pedido e sem fazer perguntas e é por esta razão que as duas vão para S. Petersburgo primeiro para encontrar-se com Pyotr e também para para conseguir o consentimento de Raskolnikov. Piotr fala com Raskolnikov quando este está em estado de delírio e se comporta de maneira hipócrita. Raskolnikov recusa-o imediatamente como um marido em potencial para a sua irmã e percebe que esta só o aceitou para ajudar a família. 

Vou parando por aqui vá lá e lê o livro :-)
Li um comentário que diz que o livro tem como foco a angústia mental e moral bem como o dilema de Raskolnikov que diz (justifica) que com o dinheiro da agiota ele poderá realizar boas ações para contrabalancear o crime, enquanto livra o mundo de uma verme inútil. Ele também comete esse crime para provar a sua própria hipótese de que algumas pessoas são naturalmente capazes de tais coisas, e que possuem o direito de o fazer. Muitas vezes por todo o romance Raskolnikov justifica as suas ações tentando aproximar-se mentalmente de Napoleão Bonaparte, acreditando que matar é permitido se estiver em causa um propósito maior.
Ele  é descrito como execepcionalmente bonito, alto além da média, magro, com olhos castanhos escuros e cabelos castanhos. Mas o que chama a atenção é a sua dupla personalidade apática e antisocial e ao mesmo tempo caloroso e com compaixão. Ele comete um assassinato mas também atos de caridade. Sua interação com o mundo externo é caótica e sua visão de  mundo do ponto de vista do  niilismo (o Niilismo (de forma rápida) é uma palavra que vem do latim nihil, nada, é um termo, um conceito filosófico. É a desvalorização e a morte do sentido, a ausência de finalidade e de resposta ao "porquê". Os valores tradicionais depreciam-se e os princípios e os critérios absolutos dissolvem-se". "Tudo é sacudido, posto radicalmente em discussão. A superfície, antes congelada, das verdades e dos valores tradicionais está despedaçada e torna-se difícil prosseguir no caminho, avistar um ancoradouro"Existem várias concepções, vale a pena dar uma olhada.) talvez seja a causa de sua alienação social ou a consequência disso.

Apesar do nome do romance ser Crime e Castigo o romance não fala muito do crime em si e de sua punição formal mas sim da angústia interna de Raskolnikov que o seu castigo resulta muito mais de sua consciência do que da lei, a ponto deste ficar psicologicamente muito doente.
Bom, existem muitas considerações filosóficas, literárias, análises de cada um dos personagens, a motivação do pensamento de Dostoyevsky, o que pensava, o que não pensava, críticas, assunto para PHd's com certeza.
Eu sou leiga em absolutamente todos esses campos, sou leitora  apenas e o que li foi o romance, e confesso que fiquei angustiada do início ao fim, pois o autor consegue passar esse sentimento, você consegue sentir simplesmente e as reflexões acerca da moral que conhecemos, o estado das coisas desse mundo (daquele mundo do século XIX), acabam vindo automaticamente em sua mente e nos pegamos a pensar em todas essas coisas...
É aterrorizante pensar que uma pessoa que era "boa" torne-se um assassino e que esta mesma pessoa depois perceba que o crime que cometeu não modificou o seu mundo a sua vida, aliás modificou para pior, pois quase enlouquece de tanto peso na consciência, restando apenas dizer a verdade para compensar o mal que causou e quem sabe restaurar de alguma forma o que foi perdido.
Acredito que nós enquanto seres humanos cheios de sentimentos, pensamentos e ideias (loucas e sãs) vivemos realmente numa linha muito tênue entre o certo e o errado, em um piscar de olhos podemos passar de um lado para outro muito facilmente e o que nos segura?

Gostei de conhecer o estilo de Dostoiévski, saber mais um pouco sobre sua vida e seu mode de pensar. Recomendo a leitura deste livro, mas tem que ter paciência!!!

Boa leitura :-)))








sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Literatura

Chá Verde  e Um pouco de Dostoyevsky
Loide Branco 

foto: celebritytypes



Há alguns dias eu disse que ía comentar sobre a minha impressão sobre alguns livros que andei lendo, já falei um pouco de Kafka e do livro O Processo e agora é a vez de Dostoyevsky em dose dupla, pois li duas obras e vou seguir o mesmo estilo, primeiro falo um pouco sobre ele, depois das obras. Claro que não sou crítica literária e nem tenho nenhuma pretensão, mas acho legal deixarmos nossa impressão naquilo que lemos, de repente um assunto para nós trocarmos ideias se quiserem.

Então não pretendo citar toda a biografia de Dostoyesvsky mesmo porque é imensa e nem quero ser cansativa. Se você tiver curiosidade, disposição existem vários sites, livros que falam sobre este monstro da literatura russa. Vou citar apenas alguns detalhes para nos situarmos no tempo de sua escrita.

Fyodor Mikhailovich Dostoyevsky foi um romancista russo, ele escrevia histórias curtas, ensaios e foi também filósofo. A sua escrita explorava a psicologia humana em contextos de problemas políticos e também sobre a atmosfera espiritual da Rússia do século XIX, interessante não é?Começou a escrever aos 20 anos de idade quase uma criança e a sua primeira novela foi  Gente Pobre, publicada em 1846 quando estava com 25 anos. Em suas obras destacam-se Crime e Castigo de 1866, O Idiota de 1869 e Os Irmãos Karamazov de 1880. Ao todo ele escreveu 11 romances, 3 novelas, 17 novelas curtas e vários outros trabalhos. Muitos críticos literários colocam-no como um dos maiores e mais proeminente psicólogo no mundo literário. Quem quer contestar?

Ele nasceu em 1821 em Moscou e foi introduzido muito cedo a literatura russa e também estrangeira. Quando estava apenas com 15 anos, sua mãe falece e nessa mesma época ele deixa a escola e entra para o Instituto de Engenharia Militar Nikolayev. Depois de sua graduação ele começa a trabalhar como engenheiro aproveitando a vida luxuosa, e para ganhar algum dinheiro extra, ele traduz livros. Foi em 1840 que escreveu seu primeiro romance Gente Pobre o que lhe abriu as portas para o círculo literário de St. Petersburgo.  Eu não sabia que ele tinha sido engenheiro e  também tradutor.

Em 1849 foi preso por seu envolvimento no Círculo Petrashevsky, uma sociedade secreta de utopistas liberais que também funcionava como um grupo de discussão literária. Ele foi acusado de conspiração, de ler livros de Belinsky incluindo o livro Correspondência com Gogol e também de estar circulando cópias deste e outros trabalhos. O agente do governo Russo que fez a denúncia disse que pelo menos um dos papéis criticava a política e a religião russa. Dostoyevsky responde a acusação dizendo que apenas leu esses artigos como monumento literário, nem mais nem menos e que falava da personalidade, e do egoísmo humano em vez de política. Mesmo assim o conde Orlov e o Czar Nicholas I  com medo de uma revolução ordena que sejam levados para a Fortaleza de Pedro e Paulo, lugar onde estão os presos de maior periculosidade.

O caso foi discutido por 4 meses e ao final Dostoyevsky e os demais membros foram condenados a morte por fuzilamento  no dia 23 de dezembro de 1849. Foram dividios em três grupos, Dostoyevsky era o terceiro da segunda fila mas no último momento uma nota do Czar Nicholas I foi entregue ao esquadrão de fuzilamento, alterando a sentença para 4 anos de trabalho forçado na Sibéria. Na prisão começou a ter ataques epiléticos  e quando foi posto em liberdade foi ainda forçado  a servir como soldado antes de ser dispensado por invalidez. Você consegue imaginar  essa situação? quase morre, mas escapou por um fiozinho...é de arrepiar ...e olha que a prisão lá da Sibéria era só mesmo para os fortes como bem descreve Dostoyevsky que por todo o tempo que esteve preso ficou com os pés e as mãos algemados, só podia ler o Novo Testamento (uma coisa boa). E  para somar aos ataques epiléticos ele também tinha hemorróidas, perdeu peso e foi atacado por uma febre, tremia e sentia muito quente e muito frio todas as noites

 "No verão a proximidade era intolerável, no inverno o frio era insuportável. O chão estava podre. A sujeira do chão uns 3 centímetros; alguém poderia escorregar e cair... estávamos empacotados tal qual arenques em um barril ( tipo sardinha enlatada)...não havia como virar-se. Do escurecer ao amanhecer era impossível não se comportar  como porcos...Pulgas, piolhos, besouros pretos pelo alqueire"... Fyodor Dostoyevsky, Pisma, I: pp. 135-7

Nos anos que se seguiram, Dostoyevsky trabalhou  como jornalista, publicando e editando  várias revistas de sua própria aultoria e depois  O Diário de um Escritor, uma coleção de seus escritos. Começou a viajar pela Europa e tornou-se viciado no jogo o que o levou a problemas econômicos. 

Por um período ele teve que mendigar por dinheiro, mas, eventualmente se tornou um dos escritores russos mais lidos e conceituados. Seus livros foram traduzidos em mais de 170 línguas. Influenciou uma multidão de escritores e filósofos desde Anton Chekhov e Ernest Hemingway a Friedrich Nietzsche e Jean-Paul Sartre.

No dia 9 de Fevereiro de 1881 morre em decorrência de uma hemorragia pulmonar. Um repórter da época disse que mais de 100.000 pessoas estavam presentes naquele dia. Uma das últimas palavras de Dostoyevsky refere-se a um versículo da Bíblia, Mateus 3: 14-15 " Mas João o impedia, dizendo. Eu é que preciso ser batizado por ti e Tu vens a mim? E, respondendo Jesus, disse-lhe:  Deixai que seja assim agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça".

Tem ainda muito mais para saber sobre este grande escritor, mas ele já falava do caos da sociedade russa do século XIX e todas as mazelas, tão próximas de nossos dias não é? sua vida não foi tão fácil, claro que teve muitas críticas negativas também,  mesmo assim continuou a escrever e deixou um legado para todos nós.

Boa leitura!!! :-)))








segunda-feira, 30 de setembro de 2013


Shocking  News.....Mr. Darcy is dead!!!
Loide Branco






Logo cedo  vi o post de uma amiga  sobre o novo livro de Bridget Jones, e a notícia da morte de Mr. Darcy o advogado inglês, charmoso, rico e muito inteligente, além do que o par perfeito de Bridget Jones. Fui então dar uma olhada na fonte,  no jornal inglês The Guardian.

O terceiro volume do Diário de Bridget Jones escrito por Helen Fielding e  interpretado por Renée Zellwegger and Colin Firth, Mr. Darcy já não existe, Bridget está viúva, tem dois filhos e está com 51 anos...

Há quem não goste desse filme e desse tipo de comédia, mas eu gosto!

Ontem mesmo estava no meu momento de tédio total e o Diário de Bridget foi o filme que assisti  pela talvez 10000 vezes. É sempre engraçado as aventuras de Bridget, as situações hilárias que se mete,  os conselhos de seus amigos muito estranhos, e também o querido Mr. Darcy, tão british and cute. Sem falar das imagens da minha sempre querida e amada Londres de todos os tempos...E eu já estava pensando, quando será que vem o próximo filme e como serãos as novas aventuras...e daí esta notícia....  :(

Não gostei nadinha...vamos ver se ele Mr. Darcy poderá renascer das cinzas tal qual a fênix!!!

Boa semana!!! :-)))

domingo, 29 de setembro de 2013



Hoje é dia de Doktor Zjivago
"Förbjuden kärlek i revolutionens tid "
Amor proibido em tempos de revolução :-)
Loide Branco 











O filme de 1965 baseado no romance de Boris Pastenark é uma mistura de drama, romance e guerra. 

Mas a versão que tenho aqui em casa é com a Keira Knightley.


A trama aontece na época da Revolução Russa de 1917 e conta a história de Yuri Jivago e Lara Antipova Lara é filha de uma costureira russa viúva e muito pobre e tudo que possui é "dado" por Victor Komarovsky um homem rico, influente e inescrupuloso.

Victor se encanta com a beleza de Lara e a quer para si, para tanto manipula a  mãe que cede e  entrega a filha a este em seu aniversário de 17 anos. A mãe recusa-se aceitar o relacionamento, sofre e tenta praticar o suicídio. 

O médico é chamado para socorrer a mãe de Lara e junto com este vem Jivago que na época era estudante de medicina. Ele cuida da mãe de Lara e conversa um pouco com esta.

Em uma festa da alta sociedade Lara aparece e tenta matar Victor, porém erra o alvo, Jivago que estava presente com a noiva Tonya,  a reconhece e  fica surpreso com sua coragem.

Tempos depois Lara decide-se casar com Pascha Strelnikoff um jovem romântico e revolucionário.

Jivago casa-se com Tonya, a guerra começa, Pascha descobre a verdade sobre Victor e Lara, revolta-se, decide se alistar  e dessa  forma se afasta de Lara.

Lara acaba por encontrar Jivago quando ambos estão fazendo trabalho voluntário na 1a. Guerra, ela enfermeira e ele médico cuidam dos feridos e passam a se conhecer melhor.

Com o fim da guerra Jivago e Lara voltam para as suas famílias e perdem o contato. Jivago ao  retornar para casa em Moscou, ver toda a decadência da alta sociedade russa e junto com a esposa, filho e sogro decidem fugir para o interior...para os Urais...

E a história continua... são dois cds 3h e 55 minutos  de pura emoção. 

Adoro esse filme porque não só por ser um romance, mas por também tratar de um momento muito difícil que foi a guerra, além do que a paisagem é belíssima.

Se não assistiu ainda, vale a pena!
Bjs e bom domingo !!!!

:-)))













quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Café sem açúcar e o discurso de Reinfeldt na ONU
Loide Branco






É notícia quase de rodapé em um dos jornais mais lidos aqui por estas bandas do mundo, o discurso do primeiro ministro sueco na ONU. 

Ele começou a falar às 3 da manhã acredita? devido ao atraso dos demais, mesmo assim, deixou o seu recado. 

Começa o seu discurso falando que houve uma redução da pobreza  e que as pessoas vivem mais agora. Que a economia mundial tem crescido e a tecnologia tem progredido a uma velocidade vertiginosa, mas que com tal progresso, faz-se também os desafios. E a ONU desempenha assim um papel definitivo na consecução das metas para o milênio. 

Entre tantas coisas que abordou quero apenas destacar um assunto que é muitíssimo importante para nós mulheres unidas, que é sobre a igualdade e direitos humanos das mulheres pelo mundo afora.

Reinfeldt aborda o seu tema chave e principal que é sobre os direitos das mulheres no mundo ao qual  chama de "a grande falha em todos os campos dos  direitos humanos. "A igualdade é algo que deveria ser óbvio. Entretanto, bilhões de mulheres são expostas a violência sexual e física, e ainda assim, a milhares de mulheres são negados o mesmo direito a saúde e 800 mulheres morrem em complicações associadas a gravidez e ao parto e adiciona que também são negados as mulheres e meninas o direito a educação e formação.

Acrescenta ainda que para muitas mulheres, a ideia de que em um governo deve haver mais mulheres do que homens ministros, como temos na Suécia, é uma utopia. Muitas dessas mulheres nem sequer são autorizadas a votar.

E disse mais: deixe-me ser muito claro. Não é aceitável, não é inteligente a discriminação contra mulheres e meninas."

Esse discurso sobre igualdade parece ser para muitos apenas uma boa retórica, mas nós mulheres que nascemos em países que não tem uma atitude tão discriminadora e violenta em relação as mulheres, e podemos de alguma forma ter educação, direito ao voto, a trabalhar e seguir nossos sonhos, sabemos o quão necessário é bater na mesma tecla, o quão necessário é termos pessoas influentes levantando a bandeira da igualdade para as mulheres, denunciando os absurdos, as violências que muitas sofrem todos os dias.

Realmente, eu concordo quando ele diz que é "a grande falha em todos os campos dos  direitos humanos" porque existe apenas no papel e em muitos lugares nem no papel, esse direito é ignorado, retirado e trancado a sete chaves, no entanto, temos que fazê-lo visível.

Sentimos um certo ar de descrença quando ouvimos em pleno século XXI, que este ou aquele país não permite a educação de mulheres, de meninas, que estas não podem dirigir um carro, não podem ter uma formação técnica dirá universitária, que são dadas em casamento com 13-14 anos, a pessoas que nunca viram, que morrem ao dar a luz devido a pouca idade e complicações.

Quem sabe um dia as coisas melhorem? E estes milhares de mulheres, meninas possam dar o seu contributo na sociedade que vivem.


Bom dia e bom café!!!!
:-))


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Sugestão do dia: 
Sopa de legumes, salada de alface e cogumelos dourados
Loide Branco






Ingredientes sopa:

1 beringela
1 nabo
2 maços de cebolinha
1 pimentão
1 tomate maduro picado
1 cebola picada ou ( 1 pacote de sopa de cebola)
1 dente de alho
1 cenoura
1 xícara de vagem picada
1/2 maço de salsão
1/2 maço de cheiro verde
1/4 repolho picado
1/2 colher de sopa de curcuma ou curry

Modo de Fazer:

Corte todos os vegetais em cubos, numa panela cubra os vegetais com água e deixe cozinhar até que fiquem macios. Em seguida bata no liquidificador pois fica mais saborosa, devolva a panela e acrescente um fio de óleo de azeite e sal mas não muito, deixe cozinhar mais um pouco e pronto. Esta porção é grande da para 4 pessoas.

Ingredientes Salada:

4 folhas de alface fresco e bem lavados
4 tomates cereja  limpos e cortados em 4
um pouquinho de cebola fatiada bem fina pode ser  branca ou roxa
um pouquinho de pepino fresco fatiado
1/4 de  limão
1 pitada de sal

É só arrumar direto  no prato.

Cogumelos dourados

100g de cogumelos
1 dente de alho
1/4 de cebola picada
1 colher de chá de óleo de  oliva (opcional)
1/2 colher de chá de margarina light (opcional)

Modo de fazer:

Lave bem os cogumelos, corte em fatias, coloque numa panela, acrescente o alho, a cebola, tampe e deixe cozinhar, quando estiverem macios e a água secar, acrescente o óleo de oliva, a margarina e deixe dourar um pouco. Sirva a seguir.

Essa sopa estava em um site de dieta mas fiz a minha versão, substitui por exemplo a sopa de cebola em pacote, que tem muito sal  por cebola fresca, diminui o salsão pois não sou muito chegada, acrescentei o alho, o cheiro verde que amo o azeite, a curcuma para dar uma cor ao invés do curry que é muito apimentado e a pitada de sal. Dizem que é ótima para queimar calorias e tudo que queima banha é comigo mesmo. Por isso tomo no almoço e jantar uma tigelinha ou 2 conchas aproximadamente.

Gosto sempre de vegetais aquecidos e hoje pensei nesses cogumelos. É bem simples e se você gosta de uma refeiçäo leve e light fica uma delícia. Aqui na Suécia os cogumelos frescos não são caros e eu adoro.

Bom apetite!!! :-))

segunda-feira, 23 de setembro de 2013



Kafka tinha razão
Loide Branco


O Processo - Franz kafka





"Alguém devia ter difamado Josef K., pois,  certa manhã,  sem que tivesse feito qualquer mal, foi preso.

Foi-lhe instaurado o processo e o senhor saberá tudo na devida altura.

Que tipo de pessoas eram elas? De que falavam? A que instituiçao pertenciam? mas K. vivia num estado de direito, reinava a paz por toda a parte, todas as leis estavam em vigor, quem ousava invadir os seus aposentos? "

Já devem ter percebido que os pequenos trechos acima são do livro O Processo de Franz Kafka obra que foi também levada ao cinema por Orson Welles em 1999. 

Este foi um dos livros que andei lendo ano passado (fora as revistas de moda :-)) e que quero comentar por aqui, na verdade eu já havia começado a lê-lo à algum  tempo atrás mas porque o tempo era curto e haviam muitas coisas a serem feitas acabou ficando de lado. Mesmo assim consegui retomar a leitura e ir até o fim devo dizer que adorei a leitura e terminei com tristeza pelo resultado.

Existem milhares de comentários, estudos, reflexões sobre esta obra e alguns dizem que seria bom conhecer a sua biografia (por isso fiz o outro post), saber a época em que viveu, para depois sim começar a ler a obra propriamente. Vale a pena mesmo conhecer um pouco de sua vida conturbada e entender esse autor. 

Pois bem, tendo dito isso, agora, penso eu,  compreendo melhor o que na realidade  o que Kafka queria transmitir.

Então Joseph K., bancário e prestes a completar 30 anos de idade, acorda uma bela manhã e ver que não está sozinho em seu quarto, dois homens vestidos de pretos entram em seus aposentos para lhe dizer que estar preso, sim preso, sem explicações maiores, dizem que foi instaurado um processo e que este ao tempo certo saberá o porquê, afirmam também que o processo será longo. 

Uma curiosidade um misto de incredulidade, absurdo e surrealismo é o primeiro sentimento  de Joseph. K. (e também meu), será uma brincadeira de seus amigos do banco? o que significa tudo isso? Ele não acredita e nem eu leitora acredito, que alguém simplesmente entre em sua casa, em seus aposentos e lhe diga que está simplesmente preso, sem mandato, sem razão.

Então assim começa o desenrolar da trama  com esta perplexidade diante do inexplicável, mas será mesmo que alguém pode ser preso dessa forma sem mais? a narrativa vai em um crescente nos levando a um estado de constante indignação e absurdo e pensamos, tal qual Joseph K., mas "vivemos num estado de direito" não é? Isso não acontece, podemos sempre contar com o que diz a Constituição, a nossa lei maior.

Mas as coisas não são assim, Josef K., procura em secretarias instaladas em sótãos, investiga, procura novamente e nunca chega a uma resposta, não encontra o seu processo, não encontra uma explicação, pessoas e funcionários desonestos atravessam seu caminho e apenas dizem que o processo está próximo a um fim, que logo saberá do resultado. Joseph K., resigna-se ao ponto de não opor-se a sua execução mas, até o fim trágico, insiste em sua inocência.

O Processo foi publicado em 1925, muitas coisas aconteceram mas quantas vezes nos deparamos em situações da vida assim tão absurdas? não falo em situações de uma pessoa ser presa, mas sim de situações corriqueiras que parecem ficção.

E lendo as notícias do meu Brasil da última semana, os comentários de amigos no facebook, e nos jornais, indignados e alguns até enlutados  com o resultado daquele julgamento, penso que sim, Kafka tinha razão, quando no livro fala de uma "lei maior e inacessível"  mas que está perfeitamente de acordo com a sociedade de que fala e me fez lembrar do famoso "embargo infringente" que virou até piadinha, Kafka estava mesmo tendo uma premonição da política brasileira.

O que aconteceu  no Brasil semana passada e vem acontecendo todos esses anos, essa falta total de desrespeito ao povo e o que se passa ao redor do mundo, as milhares de injustiças, atentados, atos arbitrários e outras coisas mais que nos chocam e nos deixam realmente a pensar. 

Se Kafka estivesse vivo e pudesse ter presenciado todos esses acontecimentos  com certeza teria dado uma risadinha e dito, tá vendo? eu já sabia a muito tempo atrás, a sociedade continua exatamente da mesma forma.

Mas se as notícias dos tablóides não nos parecem tão convidativas, se você como eu está cansado de notícias que não acrescentam nada em sua vida, porque simplesmente as coisas não mudam, e que o mundo é uma confusão difícil de entender,  acredito que vale a pena pegar "O Processo" de Franz Kafka, uma boa xícara de café, sentar em um lugar tranquilo banhado pelo sol e se transportar para o mundo de Kafka e  suas idéias.

Deixo minha dica. 

bjssss e boa semana

:-)))

(O Processo - Franz Kafka, 317 páginas, a minha edição é portuguesa  a 3a. da editora Assírio & Alvim)
Kafka era vegetariano
Loide Branco




Franz Kafka





Você já deve ter lido alguns dos livros famosos de Kafka, entre eles: O Processo, A Metamorfose a lista é longa. Lendo um pouco sobre sua biografia, achei várias coisas interessantes, que de forma compacta quero compartilhar por aqui.

Tudo isso porque no próximo post eu faço um pequeno comentário sobre o livro "O Processo", sobre o que penso. E acho que muitas vezes nos identificamos com algumas frases, ditos, justamente porque esses autores consagrados conseguem traduzir de forma tão perfeita, precisa e simples  nossos sentimentos, e acho que Kafka é atual e sempre me faz pensar no que vivenciamos, como somos espectadores nesse mundo e como muitas vezes passamos por ele algumas vezes reconhecidos, amados admirados e outras vezes invisíveis.

Conta-se que ele era de uma família classe média burguesa de judeus, ele nasceu em 3/7/1883 em Praga.

Kafka considerava o alemão a sua língua materna, e o detalhe era que na época o fato de falar alemão era um privilégio uma questão de ascensão social,mas ele também falava e escrevia muito bem o tcheco. 

Começou a estudar Química mas depois mudou para o Direito, para agradar ao pai e também porque nessa área as possibilidades de emprego eram melhores. Em 1906 ele recebe seu Certificado de Doutor e fez um estágio obrigatório durante um ano sem salário, como escrivão no Tribunal Civil e Penal. Alguma semelhança com os jovens advogados do século XXI ou mesmo recém formados de outras áreas?

Em seguida começa a trabalhar numa empresa de seguros, o que seu pai Hermann sempre dizia que era um emprego só para pagar as contas "a bread job". Mais alguma semelhança? quantos vivem de "bread job"??? A bibliografia de Kafka é extensa, rica mas achei também muito interessante o fato dele ter conhecido em 1911 um grupo de teatro Yiddishi fazendo assim uma imersão na literatura  e também na língua, conta-se que nessa época ele tornou-se vegetariano, não imaginava kafka vegetariano você consegue imaginar?

Ele vivia em conflito com seu pai, que era muito austero, nesse período surgiu um movimento chamado Existencialismo e dizem que ele fazia parte e que era comum os escritores terem ódio da figura paterna; o fato é que o seu pai influenciou muito de seus escritos.

Um pequeno parêntese para dizer que a ideia  e ponto de partida do existencialismo é que o  indivíduo é caracterizado pelo que se tem designado por "atitude existencial", ou uma sensação de desorientação e confusão face a um mundo aparentemente sem sentido e absurdo. Muitos existencialistas também viam as filosofias académicas e sistematizadas, no estilo e conteúdo, como sendo muito abstractas e longínquas das experiências humanas concretas. 

Continuando, dizem que Kafka teve uma vida íntima muito ativa e que era torturado por desejos sexuais  estes detalhes picantes não vou alongar, mas o fato é que ele teve alguns relacionamentos com algumas mulheres entre elas Felice Bauer, e eles se corresponderam durante 5 anos por cartas e que ficou noivo 2 vezes com desta.

O seu noivado em 1914 durou apenas seis semanas, ele rompeu o noivado e isolou-se na casa da irmã Valli e lá continuou a escrever O Processo que foi justamente influenciado pela leitura de um de seus autores favoritos Heinrich von Kleist, pela ideia subjacente de justiça que havia na novela de Kleist e a realidade, o sentimento de culpa provocado pelo rompimento do noivado, o que fez nascer assim O Processo. Achei interessante também, o fato de sua mãe escrever  à Felice: "Talvez ele não tenha sido criado para o casamento, pois a sua ambição é apenas a sua escrita, ela é para ele o mais importante na vida". Escrever era então uma forma de oração para Kafka como ele viria a dizer.

kafka tinha medo que pensassem que ele era mental e fisicamente repulsivo e houve quem falasse que ele tinha uma certa desordem esquizofrênica.
Mas quem conheceu ele de perto achava que tinha um comportamento quieto, agradável com um excelente senso de humor e possuía uma inteligência óbvia. Ele tinha uma aparência austera que não condizia com sua personalidade considerada infantil e encantadora. Sempre pronto a ajudar e aconselhar os amigos.

Era também bom corredor, remador e nadador e adorava fazer caminhadas nas montanhas com os amigos nos finais de semana. Também se interessava por medicina alternativa, o método moderno de educação chamado Montessori e novidades como o avião e o cinema. Conta-se também que foi filiado ao partido socialista e que usava um cravo vermelho na lapela para que vissem que era socialista e satirizava a burocracia do comunismo.

Era fascinado também pela cultura judaica, mesmo porque fazia parte de sua história e frequentemente se perguntava o que havia de comum com ele e o judaismo ao que respondia que não tinha nada em comum e que deveria ficar quieto no seu canto.

Em 1923 ele conhece uma polaca de origem judaica, com quem passa a viver em Berlim. Porém, a inflação, a miséria e o seu estado físico debilitado pois foi diagnosticado com tuberculose o que não havia cura, tudo isso derruba Kafka definitivamente. 

A tuberculose piora, e em 10 de Abril de 1924 ele é internado em um sanatório, sua irmã Ottla cuida dele mas em 3 de Junho de 1924 ele falece e a causa da morte foi a  fome devido a sua condição, sua garganta fechou era muito difícil se alimentar e na época ainda não haviam desenvolvido a nutrição parenteral. Seu corpo foi trazido para Praga e enterrado no Cemitério Judeu.

Kafka foi desconhecido durante toda a sua vida mas ele não considerava a fama em si importante. Mas logo após a sua morte, tornou-se famoso.

E para terminar, Kafka resume assim o seu conflito absurdo com o universo, na página inicial de seu diário:

"Fechado em quatro paredes eu me encontro tal qual a um imigrante aprisionado em um país estrangeiro;.. eu vejo minha família como aliens, estranhos, cujo costumes estrangeiros, rituais e língua, desafiam a compreensão; ... embora eu não queira isto, eles me forçam a participar em seus rituais bizarros;... eu não pude resistir..."

Em aforismos número 50 escreveu:

"Em minha cabeça, tenho um mundo imenso. Mas como me libertar e libertá-lo sem rasga-los. Eu prefiro mil vezes rasgá-lo em mim do que segurá-lo ou enterrá-lo. É por isso que estou aqui e isso é muito claro para mim".

"O homem não pode viver sem uma confiança permanente em algo indestrutível dentro de si, embora ambos, o indestrutível às vezes e sua própria confiança, possa permancer permanentemente dentro dele".







quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Ginásio em Örebro -  ganhando asas
Loide Branco



aqui fica um dos coletivos dos estudantes


Os tempos mudaram, mais e mais jovens saem de casa cedo para irem ou estudar em outras cidades, países ou trabalhar mesmo. Mas "sou do tempo" que só saíamos de casa quando íamos casar...imagine você  como era difícil cortar o vínculo. 

Mas, em muitos países da  Europa, na Escandinavia, na Austrália, EUA etc, o jovem é incentivado a tornar-se independente muito cedo. No Brasil no entanto nem sempre correu assim mesmo porque muitos jovens não conseguem se sustentar financeiramente.

Tudo isso para dizer que a partir de agora meu filho irá estudar e morar em Örebro nos próximos 3-4 anos, as aulas começaram essa semana na segunda-feira e no final de semana estivemos envolvidos com a mudança. Já falei um pouco no post anterior sobre a visita que fizemos a escola ..

Pois bem, o meu filho escolheu morar no apartamento coletivo dos alunos e fomos lá pegar as chaves e as informações.  Fica uns 10 minutos de ônibus da escola que ele irá estudar, muito tranquila a área. Os apartamentos estão localizados no antigo quartel do exército que havia por lá.

Recebemos as chaves e fomos lá levar as coisas, cada andar tem vários  mini apartamentos, cada aluno tem sua cama, guarda-roupas, mesa de estudo, uma pequena pia, geladeira, fogão, armário para guardar os mantimentos, banheiro. Tudo bem clean. 

Em cada andar tem também uma sala bem equipada para todos e uma cozinha mais completa se quiserem cozinhar algo mais complicado. Há uma lavanderia e cada um tem o seu dia para agendar e usar a máquina de lavar/secar roupas.  No andar de baixo tem um restaurante porque lá são servidas 3 refeições para todos os alunos. Eles também perguntam o que o aluno come, se tem alergias, se é vegetariano, querem saber tudo.

Os alunos estudam das  9:-00 às 15:00h nesse período não tem monitores lá, depois chegam as pessoas encarregadas de cuidaderem deles quando chegam da escola. Inclusive existe um quarto para o "personal" de plantão no período da noite. 

Cada aluno tem também uma pessoa designada para auxiliá-lo em qualquer problema que tiver. Horário para chegar, regras a cumprir.

Achei tudo muito organizado, as pessoas que trabalham no local  são bem atenciosas e simpáticas, você se sente mesmo em casa. 

No primeiro dia de aula fomos juntos para ajudá-lo já que o sueco ainda não é muito bom, assisti a primeira aula, pegamos as infromações, almoçamos juntos e fomos deixá-lo no coletivo para voltarmos para Gullspång que fica a mais ou menos uns 90km de Örebro.

Desde segunda-feira ele esta sozinho por lá e se virando bem, foi um pouco complicado aprender a pegar o ônibus, mas eles arrumaram uma aluna para ajudá-lo e esse problema já foi resolvido. Antes o meu filho havia dito que não iria comer na escola que iria fazer a sua própria comida, pois bem, ensinei a ele a cuidadar de casa, das suas coisas e também a cozinhar alguns pratos, fizemos as compras, levamos, mas ele desde segunda-feira tem feito as refeições na escola....pois a preguiça de cozinhar é maior..rssrsrs estou achando ótimo!!!

Perguntei se ele viria para casa no fim de semana, eles podem vir a cada quinze dias a escola providencia o bilhete para eles, 2 por mês. Mas ele disse que não, que quer aprender a se virar sozinho!!! :-)

Por último devo dizer que a minha casa esta um pouco vazia sem o filhote por perto, e que essa fase agora é um pouco estranha, eu sou muito mãe coruja e acho que vou ser sempre. Sabia que um dia iria chegar esse momento, mas achava que iria demorar um pouco mais, só que chegou e agora temos que nos adaptar aos novos ventos.

Fico feliz em vê-lo florescer e também muito mais animada com o futuro. Agora é torcer para que tudo corra muito bem que aproveite a oportunidade, os estudos faça boas amizades e que daqui a alguns anos possa ir para outros caminhos.



Ginásio em Örebro I
Loide Branco








Virginskaskola uma pequena parte




Há alguns meses atrás estive juntamente com meu filho em uma visita a nova escola que ele irá estudar nesse novo ano letivo que começou agora dia 19 de Agosto.

A escola que ele estava estudando em Mariestad nos ajudou com todo o processo para a visita e informações. Passamos 3 dias em Örebro e foi uma experiência que gostaria de partilhar.

A escola de Örebro que estou a falar chama-se Riksgymnasiet för Döva och Hörselskadade. Este complexo de escolas é formado por 4 escolas: a Virginskaskolan, Kvinnerstaskolan, Risbergskaskolan e Tullängsskolan. Cerca de 1300 alunos estudam e são de diferentes regiões da Suécia.

A característica especial desse ginásio é que este  se ocupa principalmente em educar com os devidos recursos materiais e tecnológicos aos alunos que possuem surdez severa e outros problemas relacionados a deficiência auditiva. A escola oferece muitos cursos técnicos divididos entre as escolas acima e qualquer estudante interessado seja ele com problema auditivo ou não, pode se inscrever. A duração do curso é de 3 anos mas alguns o fazem em 4 anos.

Dividindo um pouco da minha estória...o meu filho nasceu com problemas auditivos mas só descobrimos tardiamente quando ele estava com 9 anos o que foi um baque em minha vida pois como mãe eu achava que devia ter percebido mas nunca percebi, a questão só veio porque ele tinha uma certa dificuldade em pronunciar algumas palavras e daí levamos à fonaudióloga para uma avaliação e qual não foi a surpresa quando fizeram o exame de audiometria. Foi difícil mas aos poucos fomos nos ajustando a nova realidade.


Ainda no Brasil procuramos ajuda de outros médicos e foi recomendado o uso de próteses para ajudá-lo principalmente na escola.

No Brasil estas próteses são caríssimas pois vem do exterior e eu sempre penso nos pais sem muitos recursos como podem fazer para melhorar a vida de seus filhos, como estes poderão se autodeterminar no futuro e que ajuda receberão em sua educação. Eu particularmente não recebi nenhuma  e acredito que muitos também não o recebem essa é infelizmente a dura realidade. 

Mas aqui na Suécia é diferente logo que meu filho começou a estudar e ficaram sabendo de sua condição, um aparato de ajuda foi montado para que ele pudesse acompanhar as aulas de sueco. Consultas com o otorrinolaringologista e o médico responsavel pela audiometria foram agendadas no hospital de Skövde.

Resumidamente para encurtar a estória, o aparelho dele foi trocado por um mais moderno, uma pedagoga especial do próprio hospital veio nos acompanhar no dia da consulta juntamente com um engenheiro especializado em equipamentos para surdez, que nos explicou o tipo de aparelho que ele iria usar, e um microfone especial parecido com um mp3 que o professor utiliza quando estar a falar, assim quando a professora está de costas por exemplo, o aluno consegue ouvi-la de forma clara. Achei fantástico. Tivemos várias consultas, vários exames e  não nos custou um centavo. Serei eternamente grata a este país.

Voltando a visita do ginásio, fiquei maravilhada. Logo no primeiro dia tivemos uma palestra depois fomos dividios em grupos para irmos visitar as escolas com os guias. 

Cada escola além das aulas normais de matemática, ciências, etc tem também a parte prática em outra escola. Tudo depende de qual curso você escolhe. A escola oferece por exemplo cursos técnicos em mídia: fotografia, filmagem, cabeleleiro, moda, floricultura, padaria, restaurante, hotelaria, construção: pintura, colocação de papel de parede, carpete, eletricista, encanador enfim tudo relacionado com essa área, mecânico de carros, motoristas de tratores, cuidados com animais em fazendas, artes: pinturas, esculturas, aprende a fazer objetos em vidro, é com certeza uma infinidade de cursos e possibilidades. Fiquei encantada.

Éramos três grupos de pais e filhos na maioria suecos os pais estrangeiros eram pouquíssimos. No primeiro dia ficamos na escola que fica mais no centro nos outros dias tivemos um ônibus disponível para nos levar às outras escolas. Tivemos também direito a uma tradutora brasileira e uma tradutora sueca que falava inglês quando a brasileira não pode estar conosco em um dos dias.

Cada dia visitamos uma escola diferente, passávamos o dia lá, almoçamos também junto com os alunos, visitamos toda as instalações, falamos com todos os responsáveis de cada curso e com os alunos também que vinham contar de sua experiência para os novos alunos. 

A visita durava o dia inteiro pois as escolas são imensas, você precisa praticamente de um GPS para andar lá. Tivemos também orientação vocacional, os alunos conversavam com as pedagogas sobre o programa que escolheriam, tiravam suas dúvidas, tivemos informação sobre moradia dos futuros alunos que podem escolher morar no apartamento coletivo dos alunos ou em casas de famílias. Eles devem escolher a sua opção. 

Enfim, foi uma visita completa e produtiva que esclareceu todas as dúvidas.

:-)  


terça-feira, 23 de julho de 2013

Dalsnibba- Noruega
Loide Branco






É uma montanha  com 1.476 metros de altura localizada a 21km ao sul da vila de Geiranger próximo ao lago Djupvatnet que tem cerca de 2km. O acesso é pela rodovia 63 que passa pelo lado sul da montanha e por incrível que pareça pela primeira vez pagamos pedágio para irmos até ao cume. A neve na montanha esta presente também no verão.

Conforme subíamos pelas estradas estreitas e com muitas curvas, fui cada vez mais me sentindo pequenina naquele lugar. No dia que fui não havia muitos turistas apenas um ciclista solitário fazia o percurso, acredito que ele estava treinando para a próxima maratona, haja perna..tiro o chapéu! Antes de ir ao cume ainda no sopé, há um café restaurante e também uma lojinha  que vende souvenirs, roupas de lã, etc..vale a pena parar um pouco não só pela loja mas também pela vista do lago que naquele dia estava como um espelho. 

Quando subimos a montanha não podemos parar porque há sempre risco de deslizar rochas...

Continuando a viagem, o tempo estava bom, fazia sol mas o vento é sempre um pouco frio apesar de ser verão convém ter sempre um casaco.

Senti uma conexão forte com aquele lugar foi o meu favorito, justamente porque gosto de estar só com meus botões e  lá é um lugar ermo, silencioso, os olhos se enchem com tanta beleza, e me senti tranquila...

Depois de Dalsnibba voltamos finalmente para a Suécia, para casa...como diz Elba Ramalho " estou de volta pro meu aconchego, trazendo nas malas bastante saudade..."

É isso aí, agora é esperar para a próxima aventura pelas terras vikings se possível ainda no verão!!!!


there we go...






lá..é o café que falei









o vale de Geiranger lá embaixo

eu...






:-)

Geirangerfjorden - Noruega
Loide Branco



Geiranger foi qualificada desde 2005 como patrimônio mundial pela Unesco e um dos melhoers destinos a se visitar na escandinávia pela Lonely Planet é na verdade uma pequena vila e a cidade mais próxima é Ålesund a beleza das montanhas e a vista que se tem é com certeza algo a se apreciar. Geiranger vive  constantemente ameaçada pela erosão da montanha Åkerneset dentro do fjord e se isso acontecer um tsunami destruiria assim a vila. Todos os verões cerca de 140 a 180 navios cruzeiros passam por aqui trazendo vários turistas. Há cinco hotéis e mais de 10 áreas para camping. O turismo é com certeza a atividade principal dessa pequena vila.

Todos os anos no mês de Junho, é realizada uma maratona de bicicleta que começa ao nível do mar e termina à 1497 metros no cume da montanha Dalsnibba próximo ao lago Djupvatnet e porque ainda poderá haver neve a maratona também é chamada de " Do verão ao Inverno"...

Eu já havia lido muito a respeito desse lugar e sempre tive muita vontade de conhecer e eis que agora tive a oportunidade e amei, a natureza é linda, e a vista é maravilhosa. Não há muito a se fazer e na minha opinião uns dois dias é suficiente para um passeio, relaxar e fazer uma caminhada pela montanha abaixo. Tudo depende do que a pessoa pretende. Com certeza vale a pena ver essa maravilha.



o acesso foi através do ferry-boat


o nosso capitão








do alto..


dia perfeito..mar azul



os caiaques quase somem à vista





chegando na vila









lojinha de chocolate e café



algumas moças com seus trajes recebem os turistas


um troll











:-))