sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo!!!!!
by Loide Branco



Como diz a antiga música "Adeus Ano Velho Feliz Ano Novo, que tudo se realize no ano que vai nascer..."

O que passou ficou para trás fizemos nossas escolhas, nossos erros e acertos agora é hora de olhar para frente, para novas oportunidades e tentar fazer de 2012 um ano mil vezes melhor.

Desejo saúde, paz, amor, alegria, boas amizades, confiança, determinação, sucesso e acima de tudo Deus no coração!!!

Alegre-se hoje ao lado de sua família e amigos pois 2011 está indo embora em muito breve!

beijos e abraços!!!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Queridos Amigos!!!!




Paz!


Amor!


Alegria! 


Saúde!


Prosperidade!


Desejo a todos um  Feliz Natal!!!!


Que 2012 possa ser muito melhor e que Deus esteja presente sempre em nossas vidas!!!


F e l i c i d a d e s !!!!!!



terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Cotidiano na Suécia



Cotidiano na Suécia
by Loide Branco 




Hoje amanheceu nevando aqui em Eldsberga, embora não seja muita neve ainda a paisagem mudou completamente e tudo ficou branquinho. 





Os pinheiros sempre são bonitos de se ver


Indo à cidade....




Ainda  era tarde e o dia já estava escurecendo






:-)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Coisas que gosto

Coisas que gosto - Quadrinhos e Humor
by Loide Branco





imagem: Linier



Lembro que quando era "pequena", ( e diga-se que ainda sou.. ), gostava muito de ler revistas em quadrinhos, aliás na minha época de meninice não havia muitas opções, era brincar na rua de correr, se esconder, jogar pedrinhas, bonecas de pano, de plástico, correr na chuva, subir em árvores, era assim que o tempo passava feliz, mas de vez em quando uma revista em quadrinhos aparecia em minhas mãos, e como eu me divertia com o Pato Donalds, o Pateta, a Mônica, o Cebolinha o Cascão, a Luluzinha essa eu adorava..nossa como era divertido.

O tempo passa, não.. o tempo voa e a vida se modifica, mas têm coisas que agente não deixa de gostar e uma das coisas que gosto são essas "tirinhas de humor" que encontramos nos jornais, lembro quando fazia coleção dos quadrinhos do Calvin que vinha no Jornal  O Estado de São Paulo o Estadão...

Por acaso descobri "Enriqueta" o seu autor é Ricardo Liniers Siri, Argentino ganhador de vários prêmios entre eles em 2009 o Trofeu HQ Mix o mais importante prêmio brasileiro para quadrinhos,  que publica Macanudo no Jornal La Nacion.

Quanto a sua obra segundo a Zarabatana Books  é "rica em humor, crítica de costumes, nosense, poesia. Cada tirinha da história em quadrinhos do argentino Liniers é uma surpresa e um deleite. 

Em Macanudo desfila uma imensa galeria de personagens insólitos e divertidos: e entre eles a Enriqueta, com seu gato Fellini e o ursinho Madariaga".


Copiei aqui algumas, veja e curta!



Linier

Linier

Linier

Linier

Linier


Linier

Linier

Linier


Linier



Um dia Feliz!!!!


beijos


:-)

domingo, 11 de dezembro de 2011

Cultura - Natal na Suécia III

As várias " histórias" mais ou menos contadas aqui por mim  sobre o Glögg e seus ingredientes

by Loide Branco

Blossa glögg


gostei da garrafinha com o Papai Noel esse glögg é concentrado


Os Gregos e os Romanos já eram conhecidos por deixar o vinho curtindo adicionando especiarias para intensificar o seu sabor e porque também foi dito que tinha benefícios medicinais (aproveitaram, e surge o marketing!!!rs). Os mercadores ingleses em 1500 por sua vez nomearam o vinho de especiarias de Hippocras, inspirados pelo nome do famoso médico grego Hipócrates  ( 460Tessália377 a.C.) conhecido como o "Pai da medicina". (Aí a  bebida não tinha como não se tornar popular!!!)

A história do  "mulled wine"  ou vinhos com especiarias nos leva  para a Idade Média onde estes já eram muito populares e considerados saudáveis além do que, dizem que as especiarias amenizavam o gosto do vinho que não era lá essas coisas. 

Aqui na Suécia, de acordo com o Museu de Vinhos e bebidas espirituosas (destiladas) de Estocolmo, o Rei Gustav I Vasa da Suecia era apreciador de uma bebida feita de vinho alemão, açúcar, mel, canela, gengibre, cardamo e cravos. Que foi posteriormente chamada de "glödgad vin" em 1609 o que significava (mais ou menos) "vinho quente brilhante". A palavra "glögg"  é portanto uma forma curta que apareceu em 1870.

Sua popularidade espalhou-se pela Europe e em 1890 tornou-se uma tradição de Natal. Frequentemente usada como uma "poção de saúde" prescrita para uma variedade de males especialmente tensões musculares induzidas pelo trabalho de retirar a neve com pás. (desculpa de bebum!!!!)

A palavra sueca portanto para  "mulled wine" é Glögg provém do verbo "aquecer" e o termo Glögggat vin literalmente "vinho quente" apareceu na Suécia em 1609 e conta-se que já nesse tempo alguns países já não bebiam o vinho quente, porém a tradição têm permanecido em alguns países europeus inclusive na Suécia.


Originalmente o "glögg" era menos caloroso mas uma receita de 1898 mostra que era feito de sedimentos de barris do vinho do Porto, vinho tinto encorpado, sherry, açúcar, canela, amêndoas, uvas passas, vagem da baunilha, não muito diferente do das receitas de hoje.

Há muitas receitas dessa bebida tradicional. Ao invés de brandy muitas receitas suecas chamam de aquavit, uma bebida destilada e aromatizada com sementes de cominho. O "gluggi"  Filandês têm frequentemente vodka. Fora da Escandinávia, os Alemães fazem uma variação chamada "glühwein" (vinho brilhante) com uma base de vinho branco e na Irlanda é feito com Irish whisky. Nos EUA alguns fazem com bourbon.

As especiarias e sabores mudam frequentemente há muitas receitas que usam o cardamo, casca de laranja, uvas passas, amêndoas e a quantidade de açúcar pode variar, alguns usam mel, alguns deixam as especiarias apurar depende do gosto de cada um.


J.D. Grönstedt & Co foi um dos maiores mercadores de vinho em Estocolmo. O "mulled wine" deles continham a fusão de vários vinhos com xarope de açúcar, uvas passas, amêndoas doces, canela, cárdamo, cravo e às vezes baunilha.  Em 1917 J.D. Grönstedt & Co produziram Blossa Glögg utilizando a antiga receita tradicional. 

Embora exista dezenas de marcas diferentes, na época do Natal na Suécia, são produzidos 5 milhões de litros de Blossa Glögg que é considerado o "muled wine" tradicional. Estes dizem que o seu Blossa Glögg é feito de acordo com uma receita preservada que data do século XIX cuja base é de um vinho tinto encorpado rico em sabor de especiarias  clássicas do "blossa mulled wine" que tem um aroma de especiarias com uma pitada de gengibre cujo sabor é por sua vez balanceado com a distinta e característica pitada de cardamo e cravos.

Sirva Blossa Vinglögg aquecido em pequenos copos ou taças com uvas passas e amêndoas. Para uma sensação de sabor real sirva com uma pitada de gengibre e queijo azul. Esse possui 10% de álcool.

Já o BLOSSA Trestjärnig Starkvinsglögg com conhaque é produzido com um vinho mais forte, especiarias e um conhaque fino. É mais seco, encorpado com um sabor mais ardente que o glögg tradicional porque têm um bouquet de especiarias e um carácter de conhaque distinto. Possui 21% de álcool.

Sirva aquecido com uvas passas e amêndoas. Poderá também ser servido a temperatura ambiente com bolo de chocolate ou doces natalinos. 

No Brasil, nós não temos a tradição de bebermos vinho quente no Natal, talvez porque seja já o verão e o clima mais quente, usamos o vinho quente na época do inverno, nas festas juninas o que é muito popular. 

Também não ouvi dizer que se bebe vinho quente em Portugal na época do Natal. 

Já perceberam que gosto um pouco de "histórias", é verdade, acho que nos faz perceber muitas coisas. Gosto de saber sobre os costumes antigos, o significado das palavras, como as coisas surgiram, é sempre interessante não termos aquela ideia de que "fazemos as coisas por que são e sempre foram assim", fazemos porque participamos de uma tradição que remonta muitos séculos, porque preservamos a nossa cultura e passamos para nossos filhos que por sua vez passarão para os nossos netos e bisnetos. 

A verdade é que os povos influenciam uns aos outros em seus costumes e cada um dá uma pitada especial em suas receitas dando um sabor diferenciado e único.

Vamos por nosso lado, observando e percebendo que na realidade fazemos parte de um mundo que na verdade não é tão diferente e nem tão grande assim, porque no fundo partilhamos dos mesmos anseios, temos mais ou menos os mesmos pensamentos para muitas coisas o que estreita a nossa convivência.

Hoje é o Terceiro Domingo do Advento dia de ascender a terceira vela, a cor de rosa que simboliza a Alegria. Dia de estar com a nossa família ( claro que não só hoje, todo dia é dia de estarmos com nossos queridos). Mas vamos aproveitando essa expectativa que é a chegada do Natal.

Um bom Domingo a todos!!

:-)



fontes sobre:
Hipócrates,wikipedia, 

"Swedish glögg for winter warming"

 knol a unit of knowledge,
knol.google.com


quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Profissão-Mulher-Carreira-Família

Mulheres no destaque
by Loide Branco




Todos os dias quando procuramos notícias sobre o Brasil, quase sempre são repetições do que já lemos a muitos anos, violência, crime, corrupção, tudo aquilo que você não quer ler...o que é bom, bonito, inspirador, fica lá no final da coluna, em um pequeno artigo, com uma foto pequenina quase passa despercebido. 

É impressionante como o ser humano não muda, falamos mal do Imperador Romano Nero do "pão e circo" mas a verdade é que a nossa civilização mudou pouco de lá para cá...

E temos ainda o péssimo hábito de criticar quem está fazendo algo de bom, que de certa forma muda vidas e condições. Pense no exemplo dessa  mulher Pricila Azevedo que é PM - Major, trabalha no Rio de Janeiro, na favela, exposta a tudo e todos, quantas de nós teríamos a coragem de "encarar" uma favela do Rio de Janeiro?? pois bem, somos poucos, mas ela está lá no dia à dia, em um ambiente hostil, numa profissão que era predominantemente masculina,  participando da comunidade ao mesmo tempo,  com  tato e firmeza mantendo um ambiente mais tranquilo.

Vamos valorizar mais o que de bom é feito, parar de ficar achando motivos "escondidos" em toda e qualquer ação positiva e deixar para as pequenas notas de roda pé aquilo que a sociedade tem de pior e que nunca irá mudar.
Leia um pouco sobre o trabalho da  Major Pricila Azevedo e inspire-se!

Um dia feliz!!!!!! :-)))))))




Pricila Azevedo

revista você S/A - redação André Viana, Fabio Schivartche, Barbara Soalheiro /  03/11/2011
Está à frente dos 115 policiais que pacificaram o morro Santa Marta, no Rio

Ela usa uma pistola prateada calibre .40 no coldre. Mas sua melhor arma é a conversa. "As mulheres têm mais tato que os homens. E isso ajuda a mediar conflitos", diz Pricila Azevedo, major da PM do Rio de Janeiro, que participa desde o início, em dezembro de 2008, do projeto das unidades de pacificação dos morros cariocas, as UPPs.

 No Santa Marta, onde moram 8 000 pessoas, não houve mais nenhum caso de homicídio nos últimos dois anos, afirma Pricila. Chefiando 111 homens e quatro mulheres, ela tem conseguido mudar a imagem da corporação entre os moradores do morro. "Antes, a PM era vista como inimiga e os bandidos, a referência. Aos poucos vamos conquistando respeito." A major caminha diariamente entre as vielas do morro para ouvir as necessidades dos moradores.

Joga bola com a criançada, vai às reuniões da comunidade e até participa das campanhas de vacinação. Em fevereiro, Pricila foi promovida a coordenadora-geral das UPPs do Rio - a primeira mulher a ocupar a função. Aos 33 anos, solteira, ela agora busca resgatar a feminilidade que o trabalho árduo relegou ao segundo plano. "Até estou indo ao salão de beleza, fazendo hidratação no cabelo e unha", comemora, do alto do castelo de cimento que a UPP cravou no topo do morro, com uma bela vista para o Cristo Redentor.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Cotidiano na Suécia

Cotidiano na Suécia - "Nix, Nivis" - Neve
by Loide Branco


Ontem quando saímos para ir ao centro resolver pequenas coisas, estava muito frio mas nos apetrechamos e fomos...depois veio a chuva que não parava, junto com o vento forte que não dava para usar a sombrinha (o chapéu em Portugal)...resolvemos tudo muito rápido porque às 15:30h já era "noite".... quando estávamos chegando em casa, vimos que tinha caído um pouco de neve, que estava derretida junto com a areia virou lama mas logo passou, parou de chover e ficou só o frio de 1.6 graus  e o vento..

Essa manhã, acordei com o som  de trovões e quando olhei pela janela, estava de repente tudo branco, a neve chegou por essas bandas e nossa rua ficou branquinha e claro que fui tirar fotos porque embora já tenha visto neve várias vezes esta é a primeira neve de dezembro...e é sempre um fenômeno encantador...

Segundo a wikipedia "A neve (do latim nix, nivis) é um fenômeno meteorológico que consiste na queda leve, moderada ou forte de cristais de gelo. Cada cristal de gelo é uma precipitação de uma forma cristalina de água congelada". 


a nossa rua ficou assim

floquinhos em formato de bolinhas

tadinha da planta..

no quintal

veio até a porta

vista de cima...

vista de cima

hora de deixar a pá por perto 

essa tem rodinha :-)

Bom dia!!! :-)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Coisas que gosto

Coisas que gosto.... trabalho artesanal!!!!!
by Loide Branco






Eu estava olhando o site de moda e as sugestões de algumas celebridades para o natal que a minha amiga Izabela me mandou e deparei com essas lâmpadas, tive que entrar para ver melhor. Há alguns anos atrás estive no Museu do Vidro em Portugal se não me engano em Marinha Grande.. e pude ver como é feito esse trabalho artesanal que requer fôlego e com certeza muita habilidade e criatividade.


Essas lâmpadas são lindas e delicadas, o estilo vintage, as cores o design, tudo feito   artesanalmente "hand-blown" pela designer Esther Patterson. Quer ver a técnica e outras coisas mais? vai lá no site é o www.curiousandcuriousa.co.uk. Eu adorei e quem sabe um dia possa ter pelo menos uma em um lugar especial... :-)


imagens site curiousandcuriousa

imagens site curiousandcuriousa

imagens site curiousandcuriousa

imagens site curiousandcuriousa

imagens site curiousandcuriousa

imagens site curiousandcuriousa

Um dia iluminado !!!! :-))))) bjss

domingo, 4 de dezembro de 2011

Cultura - Natal na Suécia II



Natal Na Suécia II
by Loide Branco




Hoje é o segundo Domingo do Advento, dia de se ascender a segunda vela que conforme o post anterior a primeira significa "expectativa", a segunda "preparação"...pois eu comecei os preparatórios aqui em casa, e aos poucos estou montando, consegui finalmente achar as velas numa lojinha lá no centro, parecia uma loja do Chinês, mas era sueca mesmo...


Dentro de casa, temos um suporte em cada janela, e nele costumam-se colocar  por exemplo um abajur, vasos de flores, mas agora para o Natal, colocamos esses candelabros, eles tem essa forma de árvore e possui as mais diversas formas, alguns são com a cor tradicional vermelha, optei pelo branco e escolhi dois tipos. À noite ou a tardinha, quando fica escuro, ligamos e dá uma sensação de tranquilidade, aconchego. Quando passamos pelas ruas daqui, não sei se é porque aqui é interior e não temos luz nas ruas, todas as casas tem suas janelas iluminadas e o efeito é bem bonito. Ainda  não acabei a minha decoração com as luzes, falta muito mas vou colocando aos poucos..
Achei essa bola de natal linda, um anjo...em breve vai para a minha árvore..
Esse é o outro candelabro que falei, ficou no meio, falta ainda  a estrela e mais algumas coisinhas...diz a tradição que  "as luzes na janela servem para iluminar o caminho das pessoas que estão indo para a igreja..." não sei se é isso mesmo mas..


Tomei conhecimento dessas "pepparkakor" quando estive na Noruega no Natal de 2002 , foi amor a primeira vista,  com sabor de canela e gengibre, crocantes e também diferente formatos, são deliciosas, elas vem com esse furinho, você pode colocar uma fitinha vermelha, enfeitá-las, também poderá prepará-las em casa, a criançada adora...ouvir dizer também que "diz" a tradição que devemos fazer um pedido e dar um murro no pepparkakor se quebrar em três nosso pedido será realizado....:-)))) e Dá-lhe murro!!



Nessas pequenas xícaras bebemos o "glögg" que é feito com especiarias e servido quente, poderá conter ou não álcool e acompanha castanhas diversas, ainda não fiz o meu, mas no próximo post trago a receita dessa bebida que é tradicional na Escandinávia. Nos faz lembrar o nosso "quentão" da Festa Junina.



 Conforme o post anterior que falei sobre o significado do Advento , resolvi montar do meu jeito as velas do Advento coloquei uma coroa natural, a Bíblia e as velas ao redor, talvez ainda faça alguma modificação.. já viram que a primeira vela, que significa a "expectativa", esta já foi acesa (atrasada) durante a semana, sem esquecer claro de ler a Bíblia Sagrada e fazer também uma oração...hoje é o segundo Domingo do Advento, portanto a segunda vela será acesa no hora da refeição e significa a "preparação" obviamente que poderá existir diversas outras explicações, mas fiquei com esta que li no texto..


Um Domingo de paz e felicidade a todos!!!! :-)







quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Cultura

CULTURA - Sobre o Natal I
O Advento, o mês de dezembro e o seu significado aqui por estas bandas e por outras também...
by Loide Branco

Como todos sabem, acabei de chegar por aqui e quem chega, sabe que inevitavelmente acabamos por comparar as coisas que até então vivemos em nosso próprio país segundo a nossa cultura com os fatos do dia à dia que vamos presenciando.

Pois bem, esse ano decidimos democraticamente que as comemorações de natal serão nórdicas, vikings...metade norueguesa, metade sueca com um toque tropical...

E o meu querido Jon estava me explicando como devo ir preparando as coisas porque (no momento ele está fora e não pode me ajudar) mas enfim, me explicou que temos que comemorar o Advento e que temos que comprar as velas, preparar as guloseimas e tudo o mais...eu não entendi muito bem porque no Brasil as coisas andam por outros caminhos.

Independentemente das festas de fim de ano e especialmente o natal gerar algumas controvérsias (em termos religiosos) eu de minha parte estou aberta ao novo e dessa forma reter o que é bom, querendo com isso dizer que espero que meus amigos mais fervorosos em sua fé não em levem a mal.


Sempre amei o Natal, e o seu significado que para muitos é motivo de crítica,  porque não temos dados históricos quanto a data de nascimento exato de Jesus, mas não importa, dezembro podia ser em janeiro, fevereiro ou agosto, teria sempre muitas críticas.. o importante é lembrar do nascimento de Cristo, o seu sacrifício e o valor que ocupa em nossos corações. 


Além do que meu filho Lucas nasceu no dia 24 de dezembro, e para nós Natal também é celebração de mais um ano de vida! :-)


Acredito que no passado a vida do homem esteve repleta de simbolismos e também a nossa vida presente  está sempre envolta e muitas vezes não nos damos conta, mas que com certeza deixa-nos mais felizes quando comemoramos determinada  data, isso deixa, quem nega?

Continuando sobre a cultura e tradição daqui, encontrei algumas informações que nos fala sobre o Advento de uma forma geral e o seu significado e achei interessante, sei que para quem vive por aqui é uma mera repetição mas para quem não conhece a tradição do mundo nórdico, ou mesmo da igreja, vale a pena ler um pouco. 

Coisas que gosto - O Significado das Palavras

O Significado das Palavras 
by Loide Branco


imagem editorial






Não sei quem escreveu, mas a minha amiga lá de São Paulo (a Cláudia!!!) que tem um ouvido bom para certas coisas e outras mais, transcreveu, e fez o favor de me  mandar e achei muito interessante toda essa coisa da explicação dos vários sentidos da palavra coisa, tão utilizada em nosso dia à dia. Portanto vamos a coisa. Quem souber quem escreveu me avise para eu colocar o crédito aqui...



"Transcrevo novamente:
A palavra "coisa" é um bombril do idioma. Tem mil e uma utilidades. É aquele tipo de termo-muleta ao qual a gente recorre sempre que nos faltam palavras para exprimir uma idéia. Coisas do português.

A natureza das coisas: gramaticalmente, "coisa" pode ser substantivo, adjetivo, advérbio. Também pode ser verbo: o Houaiss registra a forma "coisificar". E no Nordeste há "coisar": "Ô, seu coisinha, você já coisou aquela coisa que eu mandei você coisar?".

Coisar, em Portugal, equivale ao ato sexual, lembra Josué Machado. Já as "coisas" nordestinas são sinônimas dos órgãos genitais, registra o Aurélio. "E deixava-se possuir pelo amante, que lhe beijava os pés, as coisas, os seios" (Riacho Doce, José Lins do Rego). Na Paraíba e em Pernambuco, "coisa" também é cigarro de maconha. Em Olinda, o bloco carnavalesco Segura a Coisa tem um baseado como símbolo em seu estandarte.

Alceu Valença canta: "Segura a coisa com muito cuidado / Que eu chego já." E, como em Olinda sempre há bloco mirim equivalente ao de gente grande, há também o Segura a Coisinha. 

Na literatura, a "coisa" é coisa antiga. Antiga, mas modernista: Oswald de Andrade escreveu a crônica O Coisa em 1943. A Coisa é título de romance de Stephen King. Simone de Beauvoir escreveu A Força das Coisas, e Michel Foucault, As Palavras e as Coisas.

Em Minas Gerais, todas as coisas são chamadas de trem. Menos o trem, que lá é chamado de "a coisa". A mãe está com a filha na estação, o trem se aproxima e ela diz: "Minha filha, pega os trem que lá vem a coisa!".

Devido lugar 

"Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça (...)". A garota de
Ipanema era coisa de fechar o Rio de Janeiro. "Mas se ela voltar, se ela
voltar / Que coisa linda / Que coisa louca." Coisas de Jobim e de
Vinicius, que sabiam das coisas. Sampa também tem dessas coisas (coisa de
louco!), seja quando canta "Alguma coisa acontece no meu coração",
de Caetano Veloso, ou quando vê o Show de Calouros, do Silvio Santos (que é
coisa nossa).

Coisa não tem sexo: pode ser masculino ou feminino. Coisa-ruim é o capeta. Coisa boa é a Juliana Paes. Nunca vi coisa assim! Coisa de cinema! A Coisa virou nome de filme de Hollywood, que tinha o seu Coisa no recente Quarteto Fantástico. Extraído dos quadrinhos, na TV o personagem ganhou também desenho animado, nos anos 70. E no programa Casseta e Planeta, Urgente!, Marcelo Madureira faz o personagem "Coisinha de Jesus".

Coisa também não tem tamanho. Na boca dos exagerados, "coisa nenhuma" vira "coisíssima". Mas a "coisa" tem história na MPB.

No II Festival da Música Popular Brasileira, em 1966, estava na letra das duas vencedoras: Disparada, de Geraldo Vandré ("Prepare seu coração / Pras coisas que eu vou contar"), e A Banda, de Chico Buarque ("Pra ver a banda passar / Cantando coisas de amor"), que acabou de ser relançada num dos CD triplos do compositor, que a Som Livre remasterizou. Naquele ano do festival, no entanto, a coisa tava preta (ou melhor, verde-oliva). E a turma da Jovem Guarda não tava nem aí com as coisas: "Coisa linda / Coisa que eu adoro".

Cheio das coisas 

As mesmas coisas, Coisa bonita, Coisas do coração, Coisas que não se esquece, Diga-me coisas bonitas, Tem coisas que a gente não tira do coração. Todas essas coisas são títulos de canções interpretadas por Roberto Carlos, o "rei" das coisas. Como ele, uma geração da MPB era preocupada com as coisas. Para Maria Bethânia, o diminutivo de coisa é uma questão de quantidade (afinal, "são tantas coisinhas miúdas"). Já para Beth Carvalho, é de carinho e intensidade ("ô coisinha tão bonitinha do pai"). Todas as Coisas e Eu é título de CD de Gal. "Esse papo já tá qualquer coisa... Já qualquer coisa doida dentro mexe." Essa coisa doida é uma citação da música Qualquer Coisa, de Caetano, que canta também:

"Alguma coisa está fora da ordem."

Por essas e por outras, é preciso colocar cada coisa no devido lugar. Uma coisa de cada vez, é claro, pois uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa. E tal coisa, e coisa e tal. O cheio de coisas é o indivíduo chato, pleno de não-me-toques. O cheio das coisas, por sua vez, é o sujeito estribado.

Gente fina é outra coisa. Para o pobre, a coisa está sempre feia: o salário-mínimo não dá pra coisa nenhuma.

A coisa pública não funciona no Brasil. Desde os tempos de Cabral. Político quando está na oposição é uma coisa, mas, quando assume o poder, a coisa muda de figura. Quando se elege, o eleitor pensa: "Agora a coisa vai."

Coisa nenhuma! A coisa fica na mesma. Uma coisa é falar; outra é fazer. Coisa feia! O eleitor já está cheio dessas coisas!

Coisa à toa

Se você aceita qualquer coisa, logo se torna um coisa qualquer, um coisa-à-toa. Numa crítica feroz a esse estado de coisas, no poema Eu, Etiqueta, Drummond radicaliza: "Meu nome novo é coisa. Eu sou a coisa, coisamente." E, no verso do poeta, "coisa" vira "cousa".

Se as pessoas foram feitas para ser amadas e as coisas, para ser usadas, por que então nós amamos tanto as coisas e usamos tanto as pessoas? Bote uma coisa na cabeça: as melhores coisas da vida não são coisas. Há coisas que o dinheiro não compra: paz, saúde, alegria e outras cositas más.

Mas, "deixemos de coisa, cuidemos da vida, senão chega a morte ou coisa parecida", cantarola Fagner em Canteiros, baseado no poema Marcha, de Cecília Meireles, uma coisa linda. Por isso, faça a coisa certa e não esqueça o grande mandamento: "amarás a Deus sobre todas as coisas".

Entendeu o espírito da coisa? "

Bom dia a todos!!!!! :-)))))